Compreendendo a natureza da violência armada contemporânea como uma violência exercida já não mais exclusivamente pelos conflitos entre Estados, mas também por atores não-estatais armados com múltiplas motivações e agendas, o presente Policy Brief avalia a emergência de gangues, organizações de tráfico de drogas e pequenos grupos criminosos que operam em bolsões de fragilidade em áreas urbanas ou rurais dos Estados latinoamericanos. O intuito é o de revelar os limites da mediação e da resolução de conflitos no trato com agendas difusas, uma vez estabelecida as relações de concorrência ou de cooperação entre estes grupos e agentes do Estado. Em “Mediação com grupos armados não-convencionais? Experiências Latinoamericanas”, Mabel González Bustelo avalia exemplos de esforços de mediação engendrados com atores criminais na América Latina. Atenta às múltiplas formas que a mediação e o diálogo assumem neste contexto, Bustelo analisa a fundo as experiências em Honduras, Colômbia e México. 


Download