fellowship

Conheça Nossos Fellows

09/19/2017

O Centro de Estudos e Pesquisas – BRICS/BRICS Policy Center (BPC) recebe todos os anos diversos pesquisadores e estudantes, tanto brasileiros quanto estrangeiros, cujos trabalhos se relacionam às linhas de pesquisa desenvolvidas pelo BPC. No primeiro período de 2017, tivemos o prazer de receber quatro novos fellows que integraram nossa rede em períodos distintos, produzindo trabalhos enriquecedores durante sua estada no Centro. São eles: Felix Würkert, alemão; Andrea Varsori, italiano; Jody-Ann Anderson, jamaicana; e Helena de Moraes Achcar, brasileira. 

 

Andrea Varsori fez bacharelado e mestrado na Universidade de Bologna (Itália), ambos em Estudos Internacionais e Ciências Diplomáticas e é doutorando em Estudos sobre a Guerra na King’s College London. Seu foco de interesse maior na área das Relações Internacionais estava no campo da segurança, sobretudo em cidades e, portanto, acabou voltando seu foco para os conflitos urbanos e as maneiras nas quais esses conflitos afetam a vida da cidade, o que o fez se interessar pelo projeto BRICS Urbe do BPC. Sua pesquisa começou com insurgência urbana, estudando grupos armados estatais e não estatais, buscando compreender melhor a estratégia desses grupos. Na pesquisa que realiza junto ao BRICS Urbe, Varsori busca dimensionar os efeitos da violência armada no direito à cidade em Mumbai e no Rio, já que a tirania desenvolvida por grupos criminosos acaba retirando os direitos de alguns à vida política da cidade. 

Jody-Ann Anderson possui master of science em Applied Social Psychology e bacharelado em Psychology and Human Resource Management (com honras) pela University of the West Indies (Mona). Atualmente é mestranda em Peace, Conflict and Development na University of Bradford, como parte da Rotary Peace Fellowship, onde foca sua pesquisa em estruturas e sistemas urbanos que contribuem para a perpetuação da pobreza multigeracional. Trabalhou por sete anos com juventude no contexto urbano. No Brasil, Anderson é fellow tanto no BPC, quanto no Instituto Igarapé e, nos meses em que esteve aqui, percebeu diversas similaridades entre a Jamaica e o Brasil, incluindo a “exclusão da pobreza, o estigma e o pertencer ao mesmo tempo em que não pertence à cidade”. Apesar da diferença de cultura e língua, esse processo de “exclusão da pobreza” e de quem a representa é, segundo Anderson, bastante parecido nos dois países.  

Andrea e Jody-Ann escrevem com o Prof. Sérgio Veloso, coordenador do BRICS Urbe, um paper sobre o efeito da violência no direito à cidade, que foi apresentado no colóquio “Violência Urbana e os Direitos à Cidade”.

Helena de Moraes Achcar é atualmente nossa única fellow brasileira e faz parte do grupo de Cooperação para o Desenvolvimento. Formada em letras pela Universidade de São Paulo (USP), diz sempre ter gostado de linguística e análise de discurso graças a forma com a qual práticas e situações são legitimadas através deles. Como jornalista, trabalhou em diversos países em desenvolvimento e, a partir dessa experiência, passou a se interessar por Relações Internacionais, o que a levou a fazer mestrado em International Studies and Diplomacy pela School of Oriental and African Studies (SOAS), onde desenvolveu uma análise construtivista sobre a política externa brasileira no governo Lula (2003-2010). Atualmente, Helena é doutoranda na London School of Economics, aonde conduz pesquisa sobre a Cooperação Sul-Sul. Para o futuro, Helena deseja seguir carreira na academia. 

Por último, Felix Würkert esteve no BPC como fellow da Unidade do Sul Global para Mediação (GSUM), graças a seus estudos em Peace Mediation na European University Viadrina. Felix foi um dos participantes da terceira edição da Conferência Acadêmica sobre Mediação Internacional, onde sentiu uma conexão pessoal com o jeito diferente com a qual a mediação internacional foi abordada. Quando perguntando sobre as diferenças e similaridades entre a mediação internacional realizada pelos países do Norte em relação à realizada pelos países do Sul, Felix afirma que “só de termos uma perspectiva pós-colonial, proposta pelo Sul, já torna a mediação diferente em seu núcleo” e que as similaridades entre os países do Sul ajudam a formar práticas de mediação mais sensíveis às necessidades e características desses países. 

 

Conheça mais nossa rede de fellows clicando aqui. 

Venha ser fellow do BRICS Policy Center! Entre em contato através do e-mail: bpc@bricspolicycenter.org